sexta-feira, 5 de maio de 2017

EMBORNAL

EMBORNAL E FORD BIGODE

Assistindo um noticiário televisivo conclamando as pessoas para prestigiarem a inauguração de um museu de carros antigos, lembrei-me que em nossa velha garagem, (no momento servindo para colocar guardados em desuso), continha um portentoso e valente “Ford Bigode” que pertenceu ao meu avô Tonella.

Pensei em ir até os responsáveis pela exposição para ver detalhes de uma possível compra do citado veículo.

Encontrei-o junto as inúmeras quinquilharias amontoadas.

Estava coberto por um encerado cheio de teias de aranha. 

Retirei a cobertura e passei a olhá-lo com mais atenção para o seu interior, lembrando que em um dia de repreensão dos meus pais, escondi no banco traseiro, umas relíquias características dos meninos na época. Veio à minha mente se ainda estariam no mesmo lugar.

Aproximei-me da junção do banco de couro e o encosto, enfiei a mão apalpando e senti que aquele tesouro, estava lá, envolto por aquele famoso Embornal.

Naquele momento, senti o farfalhar de papéis, trouxe-os até a luz do tempo, e com alegria de menino, pude ver aquelas relíquias.

No primeiro saque, algumas figurinhas de jogadores de futebol, no primeiro pacote, amarrado com barbante, estava a foto do Baltasar, herói corintiano do campeonato paulista do IV centenário, era carimbada, um luxo da época, pois mostrava que era difícil obtê-la. Depois veio outro pacote, de artistas de cinema: primeiro foi de Frank Sinatra, conhecido na ocasião como “olhos azuis” da canção May Way, depois Marilyn Monroe, encantadora e sedutora, mulher de sonhos inenarráveis da molecada.

Enquanto limpava o embornal, lembrei que foi costurado pelas mãos de minha mãe, produto dos seus magníficos retalhos, já que era eximia costureira.

Lembranças e mais lembranças de um tempo que não volta mais. Assim, pintamos as cores de nossa vida.

Embornal:
Sacola confeccionada em tecido grosso (lona, mescla, brim),
com alças laterais, usada à tiracolo.
Ford Bigode:

No Brasil, ficou conhecido por Ford Bigode devido ao desenho da grade dianteira e pelas alavancas do acelerador e do avanço do motor, lembrarem o formato de um bigode.



O ANDARILHO

Em um dia desses qualquer, o Prefeito de uma cidade grande parou o seu carro, por pouco tempo, em um cruzamento, aguardando o sinal de ...